quinta-feira, 5 de julho de 2007

A indústria da água

A edição de julho da revista Fast Company (Al Gore na capa) fez uma ótima matéria sobre água engarrafada. Diz que os americanos gastaram mais dinheiro em 2006 comprando água mineral do que consumindo iPods ou ingressos de cinema (15 bilhões de dólares, para ser mais preciso). A reportagem investiga esse nicho de mercado, um negócio que há 30 anos sequer existia. Vale a pena dar uma olhada. Seria interessante fazer algo sobre a nossa realidade. Quanto dinheiro esse mercado movimenta no Brasil? Quais são as principais empresas e como elas trabalham suas marcas? Deixo um trecho da reportagem de Charles Fishman:

“Bottled water is the food phenomenon of our times. We - a generation raised on tap water and water fountains - drink a billion bottles of water a week, and we're raising a generation that views tap water with disdain and water fountains with suspicion. We've come to pay good money (two or three or four times the cost of gasoline) for a product we have always gotten, and can still get, for free, from taps in our homes.”

3 comentários:

Fabiana disse...

Isso tem a ver com a cultura do terror bacteriológico? Não, nada a ver com Antrax nem com guerra biológica. Só que, na gringolândia, a galera tem muito medo das tais bactérias. Ok, eu sei que é importante lavar as mãos toda hora. Eu lavo, claro. Lavem também, por favor. Mas em Nova York eu vi um medo absurdo dos tais bichinhos. Toda hora alguém tira uma garrafinha de álcool da bolsa pra passar nas mãos. Daqui a pouco isso vira hype e vão lançar porta-álcool Dolce e Gabbana. Daí, claro, deus o livre tomar água de torneira.
E falando da cultura do terror, o site www.ready.gov ajuda os americanos a fugirem de todas as catástrofes possíveis que podem assolar os fofinhos por lá. Será que tem algo para as bactérias da água de torneira? Vou procurar...

Ricardo Lombardi disse...

bom, em janeiro de 2000 eu conheci um casal em NY que não deixava as filhas pequenas escovarem os dentes com água da torneira. elas usavam Evian. Argumentei que era um exagero e fui criticado, veja você.
Obrigado pela dica do site. Vou olhar hoje.
bj
r

Biti Averbach disse...

Os marqueteiros devem conhecer bem o tamanho deste mercado: já criaram água com sabores, água com ervas desintoxicantes (nova mania em Paris), agora só falta a água com sabor água!